Qual a diferença entre risco e problema?

Por em maio 6, 2014 - Visualizado 5598 Vezes

Os riscos estão presentes em qualquer projeto. Dependendo da peculiaridade do projeto, muitas dúvidas estão envolvidas, clientes indecisos, escopo aberto ou inconsistente, equipes mal dimensionadas ou sem as devidas competências. Situações de insegurança são sempre consideradas como riscos.

Mas, será que a maioria dos gerentes de projetos, mesmo os mais experientes sabem diferenciar riscos de problemas. Há uma grande distinção entre risco e problema, apesar de erradamente eles serem considerados como sendo a mesma coisa.

 

Qual a importância disso?

Já estudamos e nossa experiência demonstrou que os riscos são incertezas de que um determinado evento futuro poderá afetar de forma negativa ou positiva os objetivos do projeto.

O problema já é algo existente. Já está ocorrendo naquele momento é já ameaça diretamente os objetivos do projeto. Precisa ser tratado emergencialmente.

Entender esta diferença é extremamente importante. O tratamento de riscos e problemas é realizado diferentemente no planejamento e na execução do projeto.

 

Exemplificando

Problema: Não tenho recursos com competência Java para iniciar esta demanda hoje. O projeto atrasará 2 dias úteis, data que o primeiro recurso estará disponível.

Risco: Não tenho recursos suficientes com competência Java para atender demandas de complexidade alta. Preciso de pelo menos 2 semanas para contratar recurso Java sênior, o que poderá implicar em um atraso de 2 semanas na entrega, caso a solicitação não tenha complexidade baixa ou média.

 

Melhor ter o risco nas mãos

Para o problema não existe probabilidade de ocorrer, o evento já está acontecendo. O problema em questão deve ser resolvido o mais rápido possível. Independente de qual seja a solução, ela deve ser adotada imediatamente.

Para o risco sim, temos a questão da probabilidade de acontecer ou não. O PMBOK nos orienta como gerenciar esses eventos, com a identificação e registro do risco, análise quantitativa e qualitativa, tudo que seja possível para avaliarmos com maior exatidão sua consequência caso ocorra. Tratamento de risco é importante e muito difícil de realizar.

O gerente do projeto é responsável por elaborar um plano de respostas a riscos onde as ações para atenuar o risco devem ser previstas para que o mesmo não ocorra ou que seu impacto seja minimizado frente aos objetivos do projeto. Saber da existência do risco é a grande chance de se evitar um problema. Pelo menos, tem-se a oportunidade de saber como tratá-lo caso inevitavelmente ele ocorra.

É muito pior quando um problema acontece, pois para o risco a contingência está prevista no plano de resposta. Para o problema, a contingência ainda será preparada para conseguir resolvê-lo.

Não é tão difícil diferenciar e tratar adequadamente riscos e problemas em um projeto. O mais importante é garantir que seus interessados e patrocinadores também compreendam essa diferença, pois você poderá precisar deste auxílio no momento de resolvê-los.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

InspectorWordpress has prevented 132 attacks.