Ninguém pode implementar o PMBOK

Por em dezembro 3, 2013 - Visualizado 1308 Vezes

Por Ammar W. Mango | PMHut.com

O PMBOK é uma abreviação para o “Project Management Body of Knowledge”, ou Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos, que é o principal padrão para a maioria dos gerentes de projetos em todo o mundo. É publicado pelo Project Management Institute (PMI) e é, provavelmente, entre os livros mais vendidos na área. Qualquer profissional que deseja obter as certificações do PMI, incluindo o Project Management Professional (PMP) deve ler o PMBOK e estar intimamente familiarizado com ele.

Eu respeito todo o esforço que foi aplicado para desenvolver esse importante padrão, e tive a honra de ser autorizado a analisar e dar a minha opinião sobre muitas de suas versões, incluindo a quinta edição, recentemente lançada. O PMBOK, tão útil como é, pode ser facilmente mal interpretado como uma metodologia de gerenciamento de projetos que pode ser aplicada por organizações em todo o mundo. Isto não é verdade.

Deixe-me explicar com uma história a partir de minha experiência. Mais de dez anos atrás, fui convidado para avaliar a metodologia de gerenciamento de projetos recém desenvolvida para uma organização. Eles trouxeram uma empresa de consultoria internacional para ajudá-los a desenvolvê-la como parte de uma iniciativa de melhoria de gerenciamento de projetos, que custou mais de dois milhões de dólares. A razão pela qual fui convidado a avaliar esta iniciativa foi que, mesmo após seis meses de ter tornado este processo disponível para os gerentes de projetos da organização, ninguém foi capaz de implementá-lo com sucesso! Nem mesmo parcialmente, exceto o uso esporádico de alguns processos aqui e ali.

Eu estava curioso para ver porque isso estava acontecendo. Assim que comecei a ler o documento, percebi que não se tratava de uma metodologia; não haviam fases nem qualquer ciclo de vida do projeto, não haviam critérios de entrada/saída, e nenhuma das coisas que devem ser claras, assim que se olha para uma metodologia. Era somente um grupo de processos que falavam sobre como gerenciar diferentes áreas de conhecimento do gerenciamento de projetos. O que foi mais chocante é que o conteúdo era surpreendentemente familiar. Era realmente uma interpretação improvisada do PMBOK. Não havia relação entre o ciclo de vida do projeto para a organização e os processos, não havia sequência clara dos processos, especialmente para o planejamento, não havia indicações para os gerentes de projeto e outros stakeholders sobre como utilizar o documento, não havia indicações claras sobre onde encontrar a edição mais recente, como o documento será melhorado, etc…

O PMBOK é um padrão que pode ser usado para orientar o desenvolvimento da metodologia de gerenciamento de projetos da organização, mas não pode ser a metodologia em si. É impossível implementar o PMBOK, com ele é, em uma organização.

Como você pode dizer se a metodologia que sua empresa desenvolveu é uma metodologia real, e não uma imitação do PMBOK? Aqui estão algumas dicas:

1. A metodologia deve mostrar claramente o ciclo de vida do projeto na sua organização, e não os grupos de processos de gerenciamento de projetos, se tornando um guia para o gerente de projeto seguir. Ela deve mostrar critérios claros de entrada e saída de cada e para cada fase do ciclo de vida do projeto.

2. A metodologia deve responder às questões de como o início do projeto, planejamento, execução, controle e encerramento se darão ao nível de projeto e de fase.

3. A metodologia deve considerar temas chave do gerenciamento de projetos, como processos iterativos, elaboração progressiva, lições aprendidas, melhoria contínua, ética e conduta profissional, etc.

4. A metodologia deve ser aplicável, e não sobrecarregar os gerentes de projetos com documentos enormes que eles têm ler e interpretar para serem capazes de gerenciar um projeto. Nesse caso, muitos gerentes de projeto não vão ler, e cada um vai interpretar os processos de forma diferente.

5. Use a tecnologia para tornar a metodologia mais acessível e amigável.

6. Garanta que a metodologia considera as ferramentas, técnicas e modelos a serem utilizados para a execução de seus processos.

7. Certifique-se de que aprovações necessárias e fluxos de trabalho sejam levados em consideração.

8. Certifique-se de que o processo é escalável e pode ser desenvolvido, e leve em consideração os atuais níveis de maturidade, e busque novos níveis de maturidade em uma prática gradual e estágios de aperfeiçoamento implementáveis.

Você achou essa informação útil? Por favor, deixe um comentário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

InspectorWordpress has prevented 168 attacks.