Diferença entre proatividade e reatividade

Por em março 10, 2015 - Visualizado 3957 Vezes

De uma forma simplista, muitos afirmam que “proatividade é ter iniciativa”. Mas, não é bem por aí. Iniciativa em si não define de fato a proatividade, pois a reatividade também envolve iniciativa.

Pessoas reativas são aquelas que pensam e atuam dentro de alguns padrões de causa e efeito. A mente reativa trabalha totalmente numa base de S-R (estímulo-resposta) e não fica sob o controle da sua vontade, ainda exerce força e poder de comando sobre sua consciência, propósito, pensamentos, corpo e ações.

Pessoas reativas geralmente são afetadas por situações físicas, circunstâncias, sentimentos, condições, outras pessoas. Se o tempo está bom e se o cônjuge está de bom humor, fica tudo bem. Mas, se o pneu furou ou se o tempo está chuvoso, sentem-se insatisfeitos e reclamam da vida.

As pessoas proativas influenciam o meio, garantem harmonia, direcionam boas energias, iluminam tudo e a todos ao seu redor. Nunca se sentem vítimas das circunstancias. Escolhem com sabedoria as coisas que podem influir para uma mudança significativa que atenda a muitos.

Pessoas proativas são guiadas por valores, não se importam com as circunstâncias, com as variáveis. Escolhem responder aos estímulos externos com base nesses valores e não com base em reações momentâneas guiadas pelas emoções, como raiva, ódio, orgulho, ciúmes.

Então, o que diferencia um indivíduo proativo de um reativo? A sua postura mental! É ela que define seus resultados na vida. Excelência ou mediocridade, sucesso ou fracasso, sorte ou azar, oportunidades, felicidade, satisfação, depressão, etc, etc e vários etceteras!

Ok, mas o que é mesmo postura mental? São os seus paradigmas, seus conceitos internos que definem como a vida é e como as coisas devem ser e acontecer. Quanto mais imutáveis são os seus posicionamentos, mais dificuldades você terá na vida pessoal e profissional.

O indivíduo proativo não se importa com o que os outros pensam, sua preocupação está voltada para coisas mais importantes. A energia e o tempo que o reativo gasta reclamando, defendendo seu ponto de vista, irritando a si e a outros, o proativo investe em seus objetivos. Tudo isso é influenciado pela postura mental.

O proativo tem consciência que suas ideias podem estar equivocadas e coloca-se disposto a aprender e mudar. Ele assume riscos e também a responsabilidade por quaisquer erros. O reativo está 100% certo em tudo, então como ele pode cometer erros?

O principal problema nisso tudo é que pessoas reativas pensam que são proativas. Não se enxergam como realmente são. Quando são encurralados por sua própria consciência e obrigados a admitir que estivam errados, preferem adotar o papel de vítima.

Ok entendi, mas o que isso tudo tem a ver com gestão de projetos? Muita coisa! Em um contexto com tantas mudanças como o ambiente de projetos, o comportamento individual do gerente de projetos tem uma função decisiva no sucesso ou fracasso profissional.

O comportamento proativo do gerente de projetos tem conseqüências positivas demonstráveis tanto para eles próprios e suas equipes quanto para as organizações. É fator determinante para sobreviver em um ambiente tão dinâmico e competitivo, onde as empresas buscam pessoas flexíveis que se adaptem ao inesperado e que saibam questionar a incerteza.

O gerente proativo é um agente ativo de mudanças, não espera que os demais tomem decisões por ele, atua com determinação e antecipa problemas. Entretanto, esse comportamento proativo precisa estar orientado a resultados. O bom gerente tem que ser capaz de transformar sua ideias em ações para obter resultados.

Não sabe identificar se você é proativo ou reativo? Faça um teste, observe sua rotina diária e o seu comportamento em algumas situações, como as seguintes:

  • Você se sente frustrado com freqüência?
  • Fica irritado com facilidade?
  • Quais os motivos de suas discussões com pessoas próximas?
  • Nas últimas vezes em que você se programou para fazer algo e não conseguiu fazer, quais foram os motivos?
  • Você está a todo o vapor seguindo em direção aos seus objetivos? Por que não? Sua resposta a essa pergunta envolve muitas desculpas e racionalismos?
  • Você acha que grande parte do que ocorre à sua volta e em seu ambiente de trabalho é por culpa dos outros (governo, chefias, cônjuge, etc.)?
  • Na maioria das vezes, você prefere “esperar para ver” quando uma nova situação surge?
  • Quando você recebe um diagnóstico médico, ouve-o sem questionar?
  • Você lê as mesmas revistas ou jornais todo dia?
  • Assiste televisão mais que 1 hora por dia?
  • Raramente lê um livro?
  • Acha que bons políticos serão a solução para o Brasil?
  • Seu trabalho é quase impecável, e dificilmente alguém poderia fazê-lo melhor?
  • Em uma viagem turística, se limita a observar os locais indicados pelos guias?
  • A última vez que você criou algo novo (um artigo, uma poesia, uma frase, um novo método de trabalho, etc.) foi há mais de 60 dias?
  • Você acha que, na grande maioria das vezes, sempre tem a razão (com o chefe, com sua esposa e familiares, no trânsito, etc.)?

Se você respondeu “sim” à maioria das questões acima, provavelmente suas atitudes são mais reativas que proativas, ou seja, você está agindo passivamente, esperando as coisas acontecerem, perdendo oportunidades e deixando a vida acontecer. Então, como ser mais proativo?

Ser proativo requer mudança de comportamento. Não tenho o mínimo conhecimento em psicologia para auxiliá-lo com sua atitude mental, mas posso passar algumas dicas de como você pode evitar alguns problemas em seus projetos.

Comunicação com a equipe de projeto – Você participou de uma reunião com níveis superiores que deliberaram vários aspectos que afetam a equipe ou o projeto. Reúna-se o quanto antes, em até 24 horas, com sua equipe para informá-los. Evite “fofocas na rádio-corredor” e mostre que você se importa com a equipe. Ferramentas de colaboração podem auxiliá-lo a manter todos atualizados mais facilmente.
Cronograma – Use o cronograma como guia de atividades nas reuniões de acompanhamento com a equipe do projeto, garantindo que as entregas estejam sob controle e tratando os problemas identificados pela equipe.
Reuniões de status – Use este tempo com a equipe para identificar possíveis riscos. Às vezes, por inexperiência ou receio de serem mal avaliadas, as pessoas omitem suas dificuldades. Identifique os riscos antes que se tornem problemas maiores de se contornar.
Comunicação com partes interessadas – Você conversou, mesmo que informalmente, com partes interessadas que manifestaram preocupação quanto a questões do projeto. Avise imediatamente à sua liderança sênior, não os deixe serem surpreendidos.
Organização de ideias – Mesmo que seus pensamentos inicialmente possam parecer absurdos, acostume-se a anotá-los. Aos poucos você aprenderá a ordenar seu conhecimento para aplicações práticas que podem até ajudá-lo a resolver problemas mais complexos.
Gerenciamento do escopo – Ao receber uma solicitação de mudança, não reaja de imediato. Reflita, questione, leia, consulte, estude e aprenda sobre o que essa requisição interfere no projeto, benefícios x impactos, somente depois gerencie. Apresente sempre as melhores alternativas e esteja aberto a uma negociação que seja boa ou razoável para todas as partes. Documente as justificativas e assegure-se de obter as aprovações necessárias antes de iniciar qualquer mudança ao escopo do projeto.
Aperfeiçoamento de processos – Pare de pensar e agir como todo mundo. Aja com independência e saia deste “mesmismo”. Arrisque-se a mudar e procure oportunidades de melhoria nos processos que utiliza. A “consequência” poderá ser bem positiva, como encontrar meios de otimizar o uso de recursos ou minimizar o prazo de algumas atividades. Faça com cautela e discuta sempre as novidades com a sua equipe de projetos.
Registro de lições aprendidas – Tenha consciência que você ainda vai errar muitas vezes ao longo do ciclo de vida dos projetos que trabalhar. Não se estresse, o importante é entender o que foi feito de errado, aprender com o erro e obviamente não fazer de novo. A documentação desses erros e as soluções encontradas pode lhe proporcionar acesso fácil a respostas no caso de situações com características semelhantes no futuro.

Referências de pesquisa:
sonhosestrategicos.com.br
guiatrabalhista.com.br
nelsonrosamilha.blogspot.com.br
espacodalucia.blogspot.com.br

Imagem do post:
Fonte: vidadesuporte.com.br
Licença: Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

InspectorWordpress has prevented 76 attacks.