As 4 Fases da Competência

Por em abril 7, 2017 - Visualizado 217 Vezes

Vivemos atualmente num mundo totalmente globalizado com novas informações chegando a todo o momento em várias mídias e formatos. Podemos até afirmar que estamos na Era da Informação.

Sempre que nos deparamos com algo novo a conhecer ou aprender percorremos o caminho da cognição que nos leva do “não saber” ao “saber” passando por quatro fases:

1. Incompetência inconsciente

Não sabemos fazer algo, e não sabemos que não sabemos. Por exemplo, se alguém nunca dirigiu um carro ou tocou um instrumento não tem a mínima ideia do que significam essas ações.

Fase na qual temos curiosidade do saber. Basta um mínimo de interesse para prosseguir para a próxima etapa.

 

2. Incompetência consciente

Entendemos que é preciso mais e que há a necessidade de conhecer muito mais coisas. Isso adiciona um peso que acaba ocasionando a desistência em várias pessoas que iniciam o aprendizado de habilidades novas não essenciais. Nesse passo é necessário correr riscos, errar e aprender. Errar muitas vezes para aprender mais.

Nos nossos exemplos, a pessoa começou a aprender a dirigir e logo descobre as suas limitações. Aprende conscientemente a trocar as marchas, pisar na embreagem, freio, usar o retrovisor. Coloca toda a sua atenção nisso, mas ainda não é competente suficiente para dirigir nas ruas de maior movimento.

 

3. Competência consciente

As coisas começam a fazer um pouco mais de sentido. Já aprendemos a técnica que precisava. Mas ainda fazemos um esforço consciente para acertar e fazer direito.

Já adquirimos um pouco de experiência e começamos a ter alguma segurança e nos damos conta que falta pouco para ser um especialista.

Agora a pessoa já consegue dirigir, mas precisa de muita concentração. Aquele solo difícil da sua música favorita finalmente soa bem. Mas você ainda precisa olhar para o instrumento enquanto o executa.

 

4. Competência inconsciente

Era este o nosso objetivo. Todos os pequenos padrões que aprendemos com tanto esforço juntam-se num único comportamento.

Agora a nossa habilidade é totalmente natural, aprendemos de fato. Já conseguimos realizar o que aprendemos de forma automática. Não é necessário esforço algum para atingir um ótimo resultado. É uma fase que infelizmente nem todos chegam, pois é preciso muito esforço e dedicação.

O motorista pode agora admirar a paisagem, ouvir rádio e conversar enquanto dirige. A mente consciente estabelece o objetivo e deixa que a inconsciente cuide dele, liberando a atenção para outras coisas.

Vale lembrar que existem diversas outras formas de demonstrarmos como se dá o processo de aprendizado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

InspectorWordpress has prevented 76 attacks.