A Influência da Maturidade em GP no Resultado de Negócio das Organizações

Por em março 2, 2015 - Visualizado 939 Vezes

Por Paulo Mei

Olá amigos, hoje quero investir um tempo para analisarmos o quanto a maturidade em gestão de projetos, ou mais precisamente a falta dela, pode influenciar os resultados de negócio de uma organização, corroendo seus investimentos e colocando em risco as decisões estratégicas.

Sempre foi intuitivo em qualquer área de atividade que quanto melhor o desempenho em se executar uma determinada tarefa ou conjunto de tarefas menor seriam os custos para sua realização. Em projetos essa percepção nunca foi diferente, porém sempre houve certo ceticismo quanto à economia gerada pela boa gestão dos projetos em relação aos custos decorrentes dos investimentos para se atingir o nível de maturidade adequado que pudesse gerar essa economia. Treinamentos, capacitações, implantação de metodologia, certificações, e escritórios de projetos ainda sofrem restrições e são tratados como gastos.

 

O resultado dos baixos investimentos no desenvolvimento das qualificações dos gerentes de projetos, nas mudanças culturais e na implantação de escritórios de projetos pode ser facilmente percebido novamente na recém-divulgada edição 2014 da pesquisa de maturidade em gestão de projetos do amigo e Professor Darci Prado. A pesquisa comprova em números o que já sabemos intuitivamente, que quanto maior a maturidade, maior o índice de sucesso, sendo que as organizações com excelência em gestão de projetos atingem o sucesso total em mais de 80% das vezes enquanto que para as menos maduras essa taxa não passa dos 40%, e na maioria das vezes por pura sorte ou por ações isoladas dos profissionais. Sucesso total é quando o projeto produz os resultados e benefícios esperados e os principais envolvidos ficam plenamente satisfeitos, mesmo que pequenas diferenças de prazo, custo, escopo e qualidade sejam observadas.

Outros resultados impressionantes podem ser observados como, por exemplo, o estouro médio de custos de 17% representando R$ 25 bilhões de desperdício entre as 415 organizações participantes da pesquisa.

Contribuindo para esse desperdício, e também muito marcante, é o atraso médio constatado que foi de 27%. Como as organizações pesquisadas possuem em média 19 projetos em carteira com duração média de 14 meses, o índice de atraso médio representa um desperdício de tempo de 72 meses se fossem colocados em sequência, e esse é apenas o resultado médio para cada organização.

Esses resultados são baseados nos índices médios de maturidade, que ficou em 2,64 (em uma escala de 1 a 5), entre as organizações que participaram da pesquisa, representando R$ 25 bilhões e mais de dois mil anos, somando-se os desperdícios. É importante notar que mais de 65% das organizações pesquisadas estão abaixo desse índice, possuindo, então, estouros de custo e de prazo muito maiores. Isso sem pensar que a carteira de projetos pesquisada representa apenas uma parcela dos investimentos no Brasil, nos levando a imaginar quanto em dinheiro e tempo estão sendo jogados fora, ao invés de virarem resultados para nosso país.

Grafico1

Distribuição das organizações pesquisadas nos níveis de maturidade

Acessem a pesquisa completa no site www.maturityresearch.com e entenda os detalhes dessa pesquisa. Descubra o que pode e deve ser melhorado e constate o óbvio através dos bons resultados das organizações com alto índice de maturidade, ou seja, que os recursos utilizados nos esforços de melhoria de maturidade, como treinamentos, implantação de Escritórios de Projetos e metodologias, contratação e remuneração de bons profissionais, implantação de sistemas informatizados, desenvolvimento de lideranças etc. estão longe de representarem gastos, pois possuem retorno garantido, ou seja, são investimentos.

Bons Projetos!

Até a próxima!

Saiba mais sobre o nosso próximo webinar gratuito PM Mind Map® – O novo modelo visual para gestão de projetos do dia 19-03-2015 e participe! Esperamos você!

Sobre o Autor:

Paulo Mei, MBA, PMP. É consultor, instrutor e professor em gestão de projetos e portfólios, além de membro da diretoria do PMI de São Paulo atuando no Conselho de Governança. Graduado em Administração de Empresas com ênfase em finanças, MBA pela FAAP e mestrando em Empreendedorismo pela FEA/USP. Foi responsável nos últimos vinte anos por grandes projetos no Brasil e no exterior (projetos offshore) e pela implantação de Escritórios de Projetos para empresas de vários segmentos.

É autor do livro Gerenciamento da Integração em Projetos publicado em dezembro de 2013 e palestrante em congressos e seminários ligados à Gestão de Projetos e Portfólios.

Contato: paulomei@paulomei.com.br ou pelo site www.paulomei.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

InspectorWordpress has prevented 168 attacks.